segunda-feira, março 19

De peso


Conhecem certamente este senhor. O Carlos Manuel Castro do Tugir é adepto deste grande actor e defensor de causas. Por estranho que pareça, conheço uma data de homens (todos igualmente estimáveis) fans do herói aí de cima, o que aliás motivou a nossa troca de correspondência. Nenhuma mulher na fan list. Isso deve querer significar alguma coisa, desculpe lá CMC. Este fim de semana, não bastava um filme pela calada da noite e ainda fomos brindados com uma matinée, que tive que gramar durante os últimos quinze minutos para escrever isto. Até cheguei a pensar que o homem tinha morrido e seria uma espécie de homenagem.
Pois o homem não só está perfeitamente vivo como também canta. É isso mesmo. Deve ter-se retirado dos filmes de acção (compreende-se), engordou (também se compreende) e agora canta não sei bem o quê.
Homem de poucas falas e de raras emoções, perito em artes marciais, justiceiro, zelador da ordem e da lei, é visto em múltiplos cenários, melhor que um MacGyver, seja com espada, metrelhadora, canivete suiço, correntes e até, quem sabe, com uma lima das unhas.
Está mais velho e gordo, mas mantém o mesmo ar cool com o casaco de pele preta, cabelo comprido apanhado, sabedor de muitas línguas estrangeiras, é um regalo vê-lo bater-se com bravura contra a escória dos gangs urbanos, lutando com cowboys arruaceiros, esquartejando ninjas temíveis ou limpando o sebo a rufias a soldo.
Não se lhe conhece nenhuma mulher. No entanto, paira sempre no enredo a memória de um amor assassinado (geralmente uma asiática) cuja morte ele quer vingar. Julgo que os scripts também devem incluir crianças lindas e inteligente, assim como alguns bichos amigos do homem. A causas (dele) estão por lá muitas vezes: os danos ambientais, as reservas naturais, a defesa de povos indígenas, os desastres ecológicos, a protecção dos animais e a defesa das espécies. Suponho que agora acompanhe isto tudo à viola.
Já não sei mais nada. Como diria o velho Steven atirando com um dardo à jugular de um meliante: " See you in hell".

7 Comments:

Blogger Eduardo P.L. said...

Não conheço esse senhor, mas o texto é admirável. Uma delícia passar aqui, e ler estas banalidades, tratadas de forma tão elegante e fina.

2:43 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Carissima Vizinha,

Não a fazia fã do Estevão Gaivota ...
(Tradução Literal)

:-)

Boa semana!

11:52 da manhã  
Blogger MissPearls said...

Foi essa ideia que dei? Que porcaria de texto, então ! :) :)
Acho-o péssimo!!

11:54 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Carissima Vizinha,

O texto está optimo, a personagem é que...bem... é melhor ficar por aqui...

Gostos não se discutem!

Boa semana,

1:48 da tarde  
Blogger O Jansenista said...

Steven Seagal, não Steven Seagull...
Jay Leno, quando quer dizer de alguém que, em comparação, o Sylvester Stallone é um grande expoente da expressão dramática, diz desse alguém que ele é da «Steven Seagal School of Acting».
Pensando bem, depois de ver o «moron» do Seagal a fazer de cozinheiro que mata todos os terroristas a bordo sem sequer pestanejar e emitindo apenas meia dúzia de zurros, só apetece desabafar "volta Stallone, estás perdoado"!

2:59 da tarde  
Anonymous baducha said...

Um dia acordei iluminada e disse de mim para 'comim': "Ai melhér, tens que conhecer o tão falado Segal, senão morres estúpida."
E vai daí que nos encontramos numa esquina ao som da concertina e quase dançamos o sólidó (assim não dizia a minha avó!)

Essa experiência quase me deixou com problemas existências dado o manancial de conhecimento do dito cujo.
Pensei, pensei e pensei (ufa!) e cheguei à conclusão que para além de ser boçal e todas as caracteristicas que Miss Pearls tão bem mencionou, percebi que este homem me faz mal à pele.
Arrrgh!

3:39 da tarde  
Blogger definitivo said...

Mas há que tempos andava à procura das palavras certas para catalogar o Estêvão Gaivota ou, como se diz em americano, stivan sigal!...
Estragou-me a festa toda, Miss Pearls. Agora não tenho mais nada para acrescentar ao que a Miss disse!...
Isso também não se faz!...

Fantástica - literalmente - descrição deste espécimen raro, Miss Pearls.

O texto, é todo ele delicioso mas, permita-me que saliente três pérolas:

"Até cheguei a pensar que o homem tinha morrido e seria uma espécie de homenagem."

"Deve ter-se retirado dos filmes de acção (compreende-se), engordou (também se compreende) e agora canta não sei bem o quê."

"A causas (dele) estão por lá muitas vezes: os danos ambientais, as reservas naturais, a defesa de povos indígenas, os desastres ecológicos, a protecção dos animais e a defesa das espécies. Suponho que agora acompanhe isto tudo à viola."

Uma delícia.


PS: até aqui - usando um humor quase negro (cinzento, portanto) -, eu chamava-lhe mongolóide. Apenas para "justificar" aos meus amigos que, a Síndrome de Down (nele, atenção!), não era impeditiva de uma vida... anormal.

3:46 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

eXTReMe Tracker