quinta-feira, maio 17

Rodas altas

Clap, clap, clap, são os mil um saltos que ecoam nos silêncios dos edifícios. São passos apressados, indecisos, determinados, leves, pesados, os saltos que pisam o linóleo, a madeira, o mármore, o que seja. Podem ser os nossos ou os dos outros. Os das mulheres, principalmente. Anunciam a chegada, aproximam-se com ruído e afastam-se com o eco. Rangem soalhos, cortam o silêncio, ressoam com alarido, modelos sem fim, tacões, saltos, sempre sonoros e intermitentes. São os mil e um saltos que as paredes não absorvem, os mil e um ruídos do mundo calçado. Não se lhes pode escapar.
Do silêncio masculino, das solas de borracha, do pé desportivo, não reza a (minha) história. É delas que falo. De mim, claro, que não sou exemplo para ninguém.
Clap, clap, clap, são os mil e um ruídos dos saltos, sejam caros ou baratos, de pele ou de plástico, agulha, com cunha, pretos, castanhos, venha o diabo e escolha. São os saltos da mulher apressada, de andar hesitante e dorido, o arrastar da chinela, o som que corta o ar, o salto que bate no chão, o passo leve, pesado, lento, cansado, determinado, desadaptado, apertado, solitário, ansioso, mas sempre ruidoso.
E a vizinha de cima que não pára.

6 Comments:

Blogger Inês said...

Tem toda a minha solidariedade.
Todas as vezes que mudei de casa foi por causa do barulho dos passos dos vizinhos.
Da última vez o vizinho de cima tirou a alcatifa e levou para casa uma mulher nova, que andava sempre de saltos altos, e que tinha um andar super irritante (passinhos pequeninos e eléctricos). Nós passámos a viver num autêntico inferno!
Hoje vivo num último andar e, sinceramente, acho que não consigo pensar em voltar a ter vizinhos "de cima"...

3:31 da manhã  
Blogger O Jansenista said...

Também eu só oiço de vez em quando um suave «bong, bong, clop, bong, bong, clop». O meu vizinho de cima é São Pedro, e estou convencido de que coxeia, ou então o clop é do báculo...

8:42 da manhã  
Blogger Once In a While said...

delicioso Miss Pearls .. para ler de um só fôlego ;)

10:42 da manhã  
Blogger MissPearls said...

CAro Jansenista,
Do báculo ???:´)


Quando são os nossos sapatos a ranger, parece que o som é ainda maior. Estranho

Inês
E vizinhos aprendizes de música? Venha o diabo e escolha


Obrigada Once in a while :)

11:30 da tarde  
Blogger Mir said...

Agora me lembro que ainda não deixei os sapatos no sapateiro para lhes pôr umas borrachas no salto. Nem é pelos vizinhos, (egocentrismo à parte) é por mim, que já não me posso ouvir!

3:37 da tarde  
Anonymous baducha said...

Confesso que adoro sapatos (só não gostei daqueles que Miss Pearls colocou aqui, os tais com bolinhas...eheheh..)

Há alguns anos tive uma história curiosa de uma visinha que tinha esse hábito horrivel de zanzar em casa com saltos.
Como pretexto bati à porta para me apresentar e disse-lhe que agora que a aconhecia já sabia o que ia oferecer-lhe como presente de boas vindas ao prédio: umas 'chanatas' porque os saltos dela incomodavam-me.
Miss Pearls foi remédio santo pois nunca mais a jovem senhora se fez sentir através do eco dos seus saltos e a nossa relação sempre foi muito cordial até a senhora abandonar o prédio.

Cada vez menos uso saltos até porque sinto que me faz mal à coluna e nem sempre são muito práticos. Agora só mesmo para ocasiões especificas.

6:11 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

eXTReMe Tracker