quinta-feira, maio 24

Naquela tarde

Não se lhe conhecia um namorado, uma paixão, um devaneio ou um desvario. Via-a habitualmente com a roupa entre o clássico e o antiquado e adivinha-lhe os papelotes no cabelo na hora de dormir. Os sapatos de tacão médio, com um modelo que há muito deixou de o ser e o cabelo com um corte que valha-nos Deus, arruinavam qualquer ideia de sensualidade. Sempre que viajávamos no carro dela encontravamos os cds do costume, um Phil Collins lacrimejante, um Eros Ramazzotti compungido e um Alejandro Sanz saudoso, mas curiosamente nunca lhe detectei ponta de nostalgia romântica. Como mulher de hábitos, acostumei-me a vê-la comer uma fatia de tarte de maçã com duas bolas de gelado e um chá com dois pacotes de açucar. Achei sempre um exagero, mas ela ia sorrindo à medida que ia saboreando e também por isso a admirava.
Viu casar as amigas, calou as confidências, ouviu-nos os delírios, acarinhou-lhes os filhos, acolheu-as nos divórcios, conheceu-lhes amores novos, em tudo esteve presente sem recriminações nem hesitações. Porém, naquela tarde, achei-a diferente. Não sei se seria pela camisa um nadinha mais desapertada, se pelo olhar. A verdade é que estava diferente. Quando pediu uma tarte sem gelado achei curioso. Quando evitou o açucar no chá, pensei que ali havia caso.
Tocou o telefone e não pude deixar de ficar atenta (ora eu). Atendeu, e pelo olhar e no sorriso, percebia-se que não se tratava das habituais chamadas da mãe, amigas ou irmãs. Balbuciava palavras curtas, mais trejeitos que sons, trocando silêncios de cumplicidade. Fingindo-me desinteressada, pus-me à escuta na despedida: "Às oito horas está óptimo. Na tua casa ou na minha?"
Foi o nosso último lanche. Casou num Domingo de calor com um vestido sem alças nem flor de laranjeira.

10 Comments:

Blogger ofthewood said...

texto muito bom, cinemático; venho aqui frequentemente e este pedaço de história é delicioso.

12:13 da manhã  
Anonymous baducha said...

Confesso Miss Pearls que não sei se esta foto tem algum tipo de informação/história que eu deva saber e digo isto porque gostei dela, especialmente do titulo.
Para além disso acho o seu post tão bonito, mas tão bonito...
Bolas, neste momento a única palavra que me ocorre para além de bonito é:
en-can-ta-dor

2:51 da manhã  
Blogger definitivo said...

Cara Miss Pearls, mais uma daquelas suas pequenas histórias - enormes em significados - que se lêem com o coração e se sentem com o cérebro.

Quanto à sua amiga, correndo o risco de não me fazer entender, é uma pessoa sobre a qual eu diria... saber viver.

3:04 da manhã  
Blogger cristina ribeiro said...

Lindo,Miss Pearls!!!

9:20 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Carissima Vizinha,

Este post é V. Exa. no seu melhor... Absolutamente delicioso!

Beijocas respeitosas e um bom fds,

10:36 da manhã  
Blogger S.M. said...

Muito bom!
Bom fim de semana.:)

1:17 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Dear Miss Pearls,

Uma pérola em Português. Uma pérola de Português, também.

Muito obrigado.

F

3:33 da tarde  
Blogger MissPearls said...

Obrigada.
Ainda bem que gostaram. Eu tambem gostei imenso de o ter reescrito.
Adoro finais felizes :)
Que os blogs sirvam também para isso: para finais felizes.
M Isabel

11:41 da tarde  
Blogger ISA said...

Gostei mt. Isso dos finais felizes deve ser do nome ;-) Gd beijinho

12:53 da tarde  
Blogger MissPearls said...

Obrigada Isa.
Se calhar é do nome : ):)

1:28 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

eXTReMe Tracker