terça-feira, fevereiro 20

Compras em Madrid

Na Prada e Calle de Claudio Coello havia muita gente a comprar, mas aqui havia muito mais. Com uma vantagem: na Castellana não se vendiam aquelas azeitonas fantásticas e tanto as carteiras como a roupa (segundo percebi, tudo de marcas de grandes lojas), eram bastante mais baratas. Desde que se possa circular, claro.
Bem sei que entre o fado e o flamenco há uma grande diferença, mas nem por isso deixamos de ser latinos.

(El Rastro)

4 Comments:

Blogger ariel said...

Divertiu-se, Miss Pearls? Espero que sim. Por mim falo, aquilo é uma estafa para se fazer tudo o que se quer em tão pouco tempo. Os pés ficam numa pápa, mas vale mesmo a pena. Não há como os espanhois para viverem a sua cidade. Nós somos uns mortos ambulantes ao pé deles. Há talvez demasiadas obras ao mesmo tempo, mas apesar disso nota-se a limpeza permanente das ruas. A exposição "El Retrato El Espejo y la Máscara" no Thyssen-Bornemisza,/Fundación Caja Madrid é absolutamente imperdível, na minha modesta opinião.
Na ARCO havia mais portugueses por metro quadrado que aqui nas praias em dia de verão, e quanto ao Tintoretto, tive sorte, qualquer coisa como uma horita de espera... não foi mau.:)

7:55 da tarde  
Blogger MissPearls said...

Sim , Ariel, diverti-me.
Obrigada.
Tenho que lá voltar em breve.

10:06 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

miss

ainda não estou refeita do rastro e do perfume Armani, embalado. Mas cheirava a Tabu e foi para o lixo.

T

11:13 da tarde  
Blogger Dulce Alves said...

Ai, que saudades de Madrid.
Do Rastro, com tanta coisa bonita e original a troco de meia dúzia de euros...
Da movida madrileña, dos recantos históricos, do chocolate quente no Coliseo, mesmo ali rés-vés à Puerta de Alcalá... Do majestoso parque del buen Retiro...
Caso para dizer, "Madrid me mata"...
Espero que a cara Isabel também se tenha rendido aos encantos da capital espanhola.
Saudações bloguísticas ;)

2:51 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home

eXTReMe Tracker