sexta-feira, fevereiro 5

Outros lugares

Tenho-me interrogado se, por algum golpe do destino, este blog mudásse de poiso, de localidade ou de quarto, poderia ser escrito no registo (?) que tem actualmente. As grandes cidades permitem driblar situações, ficcionar ocorrências, esconder o anonimato dos intervenientes e efabular circunstâncias. Escrever em grandes meios urbanos esvazia qualquer processo de intenções, mistifica os locais, impede a identificação, sombreia os rostos e apaga os nomes.
Mudando de local (aldeia, cidade pequena), seria possível manter um blog de autoria identificada e com alguma visibilidade, num registo mais ou menos pessoal, sem medir constantemente o risco de incorrer em ambiguidades ou falsas identificações? Confesso que não sei. O objecto estaria literalmente confinado a paredes muito estreitas e exposto a interpretações alheias a quem o escreve. Como se fosse necessário recorrer constantemente ao aviso de que se trata de uma obra de ficção e qualquer semelhança com a realidade seria pura coincidência. Uma canseira para quem se debate com mil e um constrangimentos dos quais não pode ou não quer fugir. Seria mais um.
Ando cheia de vontade de dizer mal dos modernos candeeiros da praça sem nome, mas e se me desse para escrever sobre uma ida ao cabeleireiro ou uma saída da missa? Estava frita!

5 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Minha cara Miss Pearls
A avaliar pela ausência de cometários a este seu post deduzo ser a maioria dos seus leitores(as), se não insensíveis, pelo menos indiferentes a esta questão. Viverá a maioria deles nas grandes cidades ! Eu sei que a estatística tem outros instrumentos, mas isto é pelo menos o que me diz o meu "achómetro". Claro que tem toda a razão no que diz e trata-se de um problema a ultrapassar quando se quer ter um blog. Pela minha parte, ainda não vi como o ultrapassar. Mas ainda não desisti.
Tenha um óptimo fim de semana, com muita inspiração.
TeB

11:28 da manhã  
Blogger Marta said...

Bem, eu criei dois dos meus blogs na Madeira e apenas um em Lisboa. É uma questão de abrir horizontes a esta gente! E se nunca tentar, nunca saberá :)

beijinhos

5:24 da tarde  
Blogger M Isabel G said...

Cara Marta
Força!:)
Por mim, não tenho a menor pretensão em abrir horizontes a quem quer que seja:)

TeB
Sim. Mesmo recorrendo ao anonimato, quando se pretende usar um registo confessional/pessoal, existe sempre o risco da identificação,.
Mas não vem daí mal nenhum ao mundo. Depende da forma como nos sentimos e da nossa personalidade

1:06 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Miss Pearls,
Como sempre, além de agradável, clara e sucinta: "depende da nossa personalidade e da forma como nos sentimos". A primeira não se coloca, e quanto à segunda ... quem sabe se não estará para breve !
Quanto ao anonimato, seja no campo seja na cidade, para mim, ele não existe. Em todo o lado há sempre quem tenha dificuldade em separar, por exemplo, a Miss Pearls da Isabel Goulão, só que "no campo" essas pessoas, com esse tipo de dificuldade, andam mais próximas de nós !!!
Mas quer num lado, quer noutro, e como já lhe ouvi dizer "Quem anda à chuva molha-se".
Pelo que, qualquer dia, tambem eu direi no meu blog quão feios são os candeeiros da rua da minha aldeia, postos pela EDP.
Bjs
TeB

4:33 da tarde  
Blogger Alexandre Frade Correia said...

Beijos Minha QUERIDA AMIGA

5:28 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

eXTReMe Tracker