quarta-feira, maio 28

Onde houver uma sombra

INFÂNCIA Todas as árvores apaziguam o espírito. Debaixo do pinheiro bravo a sombra torna metafísica a silhueta de tronco e copa. Em volta da ameixoeira temporã vespas ensinam aos meus ouvidos louvores. As oliveiras não se movem mas as formas da essência desenham-se cada dia com o vento. Na sombra os frémitos acalentam o pensamento até ao não pensar. Depois até sentir a vacuidade no halo de flores que o envolve. Sob as oliveiras, por fim, que não se movem contorcendo-se, concebe o não conceber. (Fiama Hasse Pais Brandão)

2 Comments:

Anonymous Blita said...

Gosto desta homenagem. Faz com que abandone o estatuto de sobrevivente. Por momentos, pelo menos.

10:06 da manhã  
Anonymous mike said...

Gostei de ler, Miss Pearls. Eu que, muita gente se admira, vá-se lá saber porquê, já plantei tantas. Uma experiência boa que o meu pai cultivou. Os meus mais velhos também. :)
(Ainda bem que deixou a preguicite) :)

11:38 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

eXTReMe Tracker