segunda-feira, maio 21

Geração vinil

Shame Shame Shame - Shirley and Company
Eu própria não sei bem onde fui desencantar esta preciosidade arqueológica. Os dançarinos são o que se vê, a coreografia não podia ser pior e o fato de treino azul não tem explicação. Apesar disso, cantam.

6 Comments:

Anonymous baducha said...

É mesmo uma preciosidade arqueológica sim senhora mas cantam que se fartam. Gosto desta música e a esta hora até estou a cantar e dançar ao som do shame.
Até era capaz de desculpar a Shirley se ela vestisse um fato de treino verde, agora azul e ainda por cima hoje!
Que maldade Miss Pearls!
:)

2:43 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Miss

Quando ficar farta dos sixtys’s faça clik neste link. Ouça o belíssimo "Adagietto" da 5ª Sinfonia, de Gustav Mahler e no http://www.youtube.com/watch?v=kRpmzBuUU5o, veja o notável “Morte em Veneza”.

A vida ás vezes é muito cruel. Mas o seu Blog enche me sempre a alma

T

4:14 da manhã  
Blogger MCA said...

Meu Deus! E nós gostávamos disto! Bem, da música ainda gosto, claro. Agora aqueles bracinhos no ar! O que me consola é que, daqui a vinte anos, as minhas sobrinhas vão olhar com o mesmo horror para a bamboleante Shakira e a nauseante Britney Spears e dessas, nem a música se aproveitará...

12:09 da tarde  
Blogger definitivo said...

As vezes qu'eu dancei isto!...
Ao contrário da "Company" da Shirley, eu era um autêntico Travolta das pistas. A sério! Sem vergonhas.

Vergonhas tenho eu agora já que, quando vou abanar o capacete, as únicas coisas que abano são as mãos (as mãos mesmo, e não os braços), os joelhos (ligeira flexão para a frente e para trás), os olhos (para ver se alguém vê a figura ridícula que eu faço) e, the last but not the least, o eventual copinho de whisky (nestas alturas temos que ter alguma coisa a que nos agarrarmos) . Tal e qual como o "Company" neste teledisco - noves fora o scotch. O que não deixa de ser irónico.

Uma praga: jamais haverá um tipo de música como o "Disco Sound": ao contrário desta, as músicas de dança de hoje não nos unem, separam-nos. Literalmente.

3:53 da tarde  
Blogger ariel said...

Miss Pearls,

Nunca entrei no "Disco Sound"...ele há coisas... mas já que é aqui em boa hora lembrado nos comentários o belissimo Adagietto da 5ª Sinfonia de Gustav Mahler e o tocante e belo Morte em Veneza de Luchino Visconti, permita-me que aconselhe a compra das gravações completas, quer do filme, quer da Sinfonia. Sou suspeita, gosto de Toda a obra de Mahler e de TODOS os fimes de Visconti....
:)

5:08 da tarde  
Blogger sem-se-ver said...

ui, de repente senti-me tãoooooo elegante!!!


(ariel, olá. não é a única :-) no meu tasco tem lá um postzito direitinho para si - 22 de abril)

miss pearls, desculpe o abuso...

9:43 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

eXTReMe Tracker