sexta-feira, dezembro 29

Hoje como no passado

O naufrágio de uma embarcação de pesca hoje ao largo da Nazaré, parece uma vez mais ter mostrado aquilo que de pior tem o Estado português. Um Estado que sistematicamente pede que nos superemos enquanto cidadãos cumpridores perante ele e perante os nossos concidadãos. Um Estado que nos leva coiro e cabelo nos impostos mas parece sempre incapaz de cumprir as suas obrigações (neste caso socorrendo com celeridade homens em risco de morrerem afogados a poucos metros de uma praia em cujas imediações passa quotidianamente grande número de embarcações de pesca e de recreio). (...) Fernando Martins - O Amigo do Povo
*
Do ano que passa fica uma ideia horrível de violência e outra desconfiada da justiça. O caso Gisberta, as crianças espancadas e assassinadas às mãos de pais, mães, padrastos, madrastas, amantes e a puta que os pariu, são evidências de uma sociedade amoral, acéfala e profundamente ignorante. Básica, mesmo. (João Gonçalves-Portugal dos Pequeninos)

2 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Assino por baixo (ambos os textos).
Excelente título. Preocupados com as percentagens, não evoluímos nada. Temos, de facto, muito que crescer. Todos! Porque, "we deserve what we accept"...

10:33 da tarde  
Blogger ergela said...

Vai seguir-se mais um daqueles inquéritos,vergolhoso.

:)

11:25 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home

eXTReMe Tracker