terça-feira, dezembro 26

Quando a tradição ainda é o que era

E depois deste filme pela enésima vez, o Natal está finalmente composto.
[last lines] Scarlett: Tara! Home. I'll go home. And I'll think of some way to get him back. After all... tomorrow is another day.
"Gone with the wind ( clicar para ouvir )

9 Comments:

Blogger Mushroomdeluxe said...

Ainda hoje, quando alguém me cansa com demasiadas questões, murmuro baixinho: "frankly my dear, i don't give a damn."

8:21 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Miss Pearls,

Cheguei a este blog através do Portugal dos Pequeninos e comecei a ler, a seguir e a gostar...
E, já deve ter ouvido isso centenas de vezes, mas volto a dizer: pela sensibilidade, pela sinceridade, pela alegria como recebe e partilha as emoções nos seus posts. Obrigado.
Não poderia deixar passar esta época sem lhe desejar Boas Festas e um excelente Ano Novo. E deixar também uma prendinha (escolhido para fazer as delícias de quem gosto):

Poema de Natal

Para isso fomos feitos:
Para lembrar e ser lembrados
Para chorar e fazer chorar
Para enterrar os nossos mortos —
Por isso temos braços longos para os adeuses
Mãos para colher o que foi dado
Dedos para cavar a terra.
Assim será nossa vida:
Uma tarde sempre a esquecer
Uma estrela a se apagar na treva
Um caminho entre dois túmulos —
Por isso precisamos velar
Falar baixo, pisar leve, ver
A noite dormir em silêncio.
Não há muito o que dizer:
Uma canção sobre um berço
Um verso, talvez de amor
Uma prece por quem se vai —
Mas que essa hora não esqueça
E por ela os nossos corações
Se deixem, graves e simples.
Pois para isso fomos feitos:
Para a esperança no milagre
Para a participação da poesia
Para ver a face da morte —
De repente nunca mais esperaremos...
Hoje a noite é jovem; da morte, apenas
Nascemos, imensamente.

Vinicius de Moraes (19.10.1913 - 9.07.1980)

10:34 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

... and what a day, I must say!

10:47 da tarde  
Blogger MissPearls said...

É mesmo isso mushroom.
Já eu, dei por mim a usar o monólogo que transcrevi no blog :)

Obrigada pelo lindo poema MAria
e pelas suas palavras.

10:49 da tarde  
Blogger ariel said...

Gone with de wind foi a primeira obra de "folgo" que li, tinha 15 anos. Uma calhamaço que devorei de uma assentada, nem dormia, de tal forma o livro me agarrou. Só depois vi o filme, inesquecivel.
After all... tomorrow is another day.
Sem dúvida.

11:43 da tarde  
Blogger Clara said...

Pouxa, como compreendo este teu post. Merry Christmas !

12:15 da manhã  
Blogger ergela said...

Cara Isabel,espero que tenha tido um bom Natal.Quanto ao filme,já o vi à uns anos ainda no cinema Império,inesquecivel sem duvida.

:)

10:28 da manhã  
Blogger katraponga said...

Concordo, Miss Pearls. Pena nao o ter visto enquanto estive aí em Portugal... sabe que sentia o mesmo quando nao passavam dois Natais consecutivos o "Música no Coraçao"? :D

Sempre gostei desse poema do Vinicius, especialmente declamado por ele. Parece-me que via o Natal como um silencioso e improvável milagre...

4:33 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

E aquele «Gone With the Wind» de "The Tatum Group Masterpieces, Vol. 8"?

E sobretudo o «My Ideal», do mesmo álbum?

Fabulosos!

6:17 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

eXTReMe Tracker