terça-feira, janeiro 20

Também quero

Fazia ideia de escrever qualquer coisa sobre o dia de hoje, cheio de Obama por todos os lados. A verdade é que não sou entusiasta destes grandes acontecimentos e quase que sentia o frio que vinha de Washington. Mas o Fernando Martins com simpatia, iludiu os leitores do Cachimbo, convencido de que tenho opinião sobre a roupa que vestiram as Sras. Obama e Biden. Lá ter, tenho, mas a verdade é que não abona muito a favor das escolhas das damas para a ocasião. Senão, vejamos: O fato de Michelle, apesar de confeccionado com tecidos fabulosos , (não era um naperon de croché, Fernando) mais parecia um Ferrero Rocher (a expressão é de uma amiga). Segundo o repórter da SIC, a escolha por uma costureira cubana significava "abertura, multiculturalismo" ou algo parecido. Eu teria aconselhado um dos muitos fantásticos costureiros americanos (os meus preferidos) que saberiam escolher o modelo mais adequado para a ocasião, mas a verdade é que ela estava mesmo feliz com o seu chocolatinho suiço. "I wanted to pick a very optimistic color, that had sunshine,” disse a estilista. “I wanted her to feel charmed, and in that way would charm everybody". A mim, não encantou coisa nehuma e estou certa de que mesmo os mais aficionados do casal Obama me hão-de dar razão.
Mas mal, mauzinho, era a fatiota da Sra. Biden: o vestido cinzento (que também podia ser meu) era demasiado curto, mais apropriado para um jantarinho de família, os saltos das botas não davam com nada, além de que deve ter passado um frio desgraçado. Não haveria um Tim Gunn por perto?
Como seria previsível, a mulher mais bem vestida era a Cindy McCain, mas estava fora do casting, e as meninas Obama apresentaram-se encantadoras. Eu gostaria de ver o outro candidato na Presidência, mas Obama estava impecável, muito elegante e genuinamente feliz.
Mas verdade, verdadinha, o acontecimento do dia foi o regresso a casa da gata Camila, após três dias no hospital veterinário. Lá está ela no seu canto, o que nos reconcilia com a vida.
.
Adenda: O vestido de baile, em chiffon creme, criado por um dos vencedores do programa "Project Runway", era pavoroso, um modelo cortinado que não lhe ficava nada bem. Vestidinhos de ombro ao léu não é para todas. Remember Nancy?.

10 Comments:

Blogger Fernando Martins said...

Isabel, como imaginarás agradeço muito tua paciência para me dares trela e, ainda por cima, com (mais) um excelente texto. Não vi a senhora McCain, mas a Charo já me tinha dito que era, indiscutivelmente, a mais elegante no "palco". Também achei que as filhas de Obama, tal como o pai, estavam muito bonitas e à vontade. Brilhante a do Ferrero Rocher. Dá os meus parabéns à autora que verbaliza muito bem aquilo que vê. Um beijo e até breve no sítio do costume... e as melhoras da gata Camilo.

12:42 da manhã  
Blogger M Isabel G said...

Gostei imenso de ter escrito isto, essa agor!:)
Beijinhos à Charo e claro que estamos cheias de razão.
Os comentários em off ficam para o sítio do costume e ainda nos havemos de rir,como de estume:)
Bjs
O desgosto que a bicharada nos dá, Fernando, mas já está muito melhor:)

12:57 da manhã  
Blogger Grande Jóia said...

Isabel...tudo começou com a história das meias do Obama recorda-se?...;)
Estou de acordo consigo, a cor era interessante e a conjugação das luvas também. Os sapatos nem por isso o que tramou tudo foi o tecido, a textura e o malvado forro do casaco que o vento insistia em mostrar.
Como dizia uma estilista brasileira era "bonitinho".
E também achei interessante um comentário no Chicago Tribune, "the ensemble also distinguished Obama in the pantheon of first ladies as one of the few who can carry off yellow against midwinter skin".

1:27 da tarde  
Blogger Grande Jóia said...

Eu nem visto o vestido e o ombro, a coisa está preta ou seja tudo muito descaído...:)
Que acha, Isabel, marcamos umas aulas de Pilates ou o caso é mais grave?

1:36 da tarde  
Blogger M Isabel G said...

Grande jóia,

Deixe lá o Pilates: há mais vida para além de vestido de ombro ao léu. Um vestido com corte nos ombros cai sempre bem. Em preto ou verde, de setim ou veludo, com uma bonita pregadeira, fica sempre elegante.

Achei lindo ouvir os jornalistas fundamentalistas americanos (cá, como lá, os media estão cheios de devotos do Obama) tentar suavizar a opinião sobre a fatiota da 1ª Dama. As pessoas são tão pândegas e tão pouco livres:)

2:49 da tarde  
Blogger Grande Jóia said...

Olhe deixei-lhe um presente, mas se não der jeito amigas como sempre.

7:13 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Depois de 3 dias a ver a camila ao Hospital no ritual à "hora da visita", a nossa gata já está em casa, com saude e apetite, deitadinha na sua manta, ao lado do aquecedor. Muito bem dispota. Foi um susto valente, julgávamos que ficávamos sem ela. O Dudas quando a viu, saltou e ladrou, mas a Camila, no alto dos seus 7 anos de gata, nem lhe ligou.

mt , J e Z

7:32 da tarde  
Blogger LR said...

Pois é, acontece muito, já tenho reparado... Demasiada ginástica de musculação, é o que é.
Até pode estar tudo no sítio mas perde-se aquele torneado imprescindível, que faz dos ombros uma continuidade harmoniosa da "morfologia! do vestido;)

1:01 da tarde  
Anonymous padeiradealjubarrota said...

Gostei do texto e não lhe tiraria uma linha!

12:31 da tarde  
Blogger M Isabel G said...

Obrigada :)

3:41 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home

eXTReMe Tracker