quarta-feira, agosto 1

Entretanto na televisão paga por nós...

Márcia Rodrigues em entrevista ao embaixador do Irão em Lisboa, com véu, vestida até à nuca de escuro e com luvas pretas.
"Iria a jornalista apenas coberta por uma tanguinha feita de missangas e pulseiras de conchinhas nas pernas se o entrevistado fosse o rei da Suazilândia?
Manda o bom senso e a democracia que os jornalistas não se apresentem de modo a que choquem os seus entrevistados, mas isso nada tem a ver com esta macacada em que se vestem véus tidos como islâmicos com o mesmo espírito com que em crianças, pelo Carnaval, nos vestíamos de damas antigas. Não sei se a televisão iraniana vai mostrar imagens desta entrevista. Mas, caso seja verdade que ela aconteceu naqueles moldes, estamos perante uma excelente peça para a propaganda fundamentalista".Helena Matos no Público
No Abrupto: "Se no tempo dos talibãs também houvesse uma embaixada do Afeganistão em Lisboa, iria a senhora jornalista de burka? O problema é que já não nos respeitamos a nós próprios".
NO DN"O DN sabe que a jornalista da RTP não foi obrigada a usar tal indumentária para poder realizar a entrevista. Segundo fonte da embaixada do Irão em Lisboa, não foram dadas quaisquer indicações à jornalista sobre a forma como ela deveria vestir--se. A mesma fonte relembra que, "mesmo que alguma embaixada tivesse a pretensão de dizer a um cidadão português como ele deveria vestir-se dentro do seu próprio país, esse cidadão não era, de forma alguma, obrigado a obedecer às instruções dessa mesma embaixada"."
Carla, concordo com o que escreves (indignações que, como tal, não são nada mais do que emocionais) apesar de não ter nenhuma opinião formada sobre a jornalista (mas que agora passei a ter). Já agora vê esta fotografia de uma jornalista americana a entrevistar o rei da Arábia Saudita no palácio do próprio: um vestido com um elegante decote (Num comentário no Blasfémias).
NO ABRUPTO: Vários comentários muito interessante de leitores, entre eles : "se por um lado se preocupou com o detalhe do traje, por outro esqueceu-se de uma norma fundamental das sociedades islâmicas: nunca se cruza a perna, principalmente sendo mulher, quando sentada em casa de outra pessoa."

14 Comments:

Blogger -pirata-vermelho- said...

Convertida ou cafrealizada?
'Vendida' !?
Diz-se que nunca integrou a experiência de ter ido 'lá fora'...
Lamento; é uma rapariga com uma graça indistinta mas não se pode admitir
1 pelas consequências da propaganda grosseira
2 pelos pressupostos
3 pela falta de integridade que denota e projecta

1:04 da tarde  
Blogger -pirata-vermelho- said...

O texto sublinhado
-
Iria a jornalista apenas coberta por uma tanguinha feita de missangas e pulseiras de conchinhas nas pernas se o entrevistado fosse o rei da Suazilândia?
-
é de quem? Tem aspas ou não?

1:06 da tarde  
Blogger Once In a While said...

um "em roma sê romano" levado ás ultimas consequências, grotesco ..
como se de dama nativa se tratasse e oportunidade tivesse de entrevistar a personagem ..

eu .. despedindo-me num até breve que também sou filha de Deus e vou de férias ;)

Abraço *

2:55 da tarde  
Blogger JC said...

Cara Miss Pearls:

Desta vez expresso a minha total e completa solidariedade e junto a minha voz à sua e à da Helena Matos.

3:07 da tarde  
Blogger Van Dog said...

Toda a razão!!

9:00 da tarde  
Blogger ariel said...

Acho um verdadeiro nojo. Não sei como é que uma jornalista portuguesa se coloca naqueles preparos... mas que tristeza.

11:00 da tarde  
Blogger MissPearls said...

Once
Também estou deserta por ir de férias . Divirta-se

Ariel,É a treta do politicamente correcto, do multiculturalismo. Na nossa terra? Isso é que era bom
Gostava de saber como reaje a jornalista se for aconselhada a não usar tops nem calções para entrar numa igreja!! Um escândalo! Religião obsoleta! Tirania!

Pirata,
o texto entre aspas é da Helena M.
mesmo o que está em bold

JC
A gente vê cada uma.

11:50 da tarde  
Blogger Xantipa said...

Não sabia desta tontice e agradeço-lhe por a ter contado.
Isto não faz sentido! Se fosse lá, ainda se podia pensar que não a tinham deixado entrar de outra maneira, mas cá??
Que péssimo exemplo...
Um abraço e boas férias!

12:27 da manhã  
Blogger definitivo said...

Mas que coisa inacreditável!.... E eu que até gostava da "peça" quando ela apresentava telejornais...

Os deuses devem estar loucos?!... Loucos estamos a ficar todos nós!.....

E eu que tenho uma irmã Márcia.... Será que me vou vingar e gostar menos dela?.... Huummmm! acho que não... ela é boazinha. E também é católica - o que ajuda bastante...

Abraço, Miss Pearls.

sousa

4:23 da manhã  
Blogger Custódia C.C. said...

Fiquei sem palavras!!! O que terá passado pela cabeça da Márcia? Cá para mim, até o Embaixador deve ter ficado surpreendido .....

3:10 da tarde  
Blogger MissPearls said...

Custódia,
è o mais certo o embaixador ter ficado surpreendido.
Parece que aquilo das luvas é mais na Arábia Saudita.
Seja como for.

Definitivo,
Deixe a sua mana em paz :)

Xantipa,
Temos esta mania de nos agacharmos. Como mulher achei de péssimo gosto. É o mínimo que posso dizer.
Quantoao conteúdo da entrevista? Não ouvi. Pode ter sido muito boa, mas fiquei incomodada e mudei de canal. Estou no meu direito.
No meu comando mando eu:)

12:48 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

O agaixismo está enraizado e nao desaparece com um estalar dos dedos.Mais grave é ser com esta gente, aos quais não devemos senão violencia e monstruosidades, a começar pela maneira como tratam as mulheres.

7:08 da tarde  
Anonymous Arp said...

Se a embaixada não colocou nenhum critério, a jornalista poderia ir como muito bem lhe apetecesse, mas, aceitando que nos países muçulmanos as jornalistas usem véu por uma questão de respeito aos usos locais, é bom lembrar que uma embaixada é território do país que representa. Logo, esteve bem a Márcia.

É muito bonita a liberdade com a qual concordamos, a outra (a dos outros) não é por certo liberdade.

Que falta de assunto que anda pela blogosfera tuga.

10:45 da tarde  
Blogger Terpsichore E. M. said...

Bem, e num reespeito consequente do Islão, as mulheres nem devem olhar os homen, na maioria dos casos,e pelo menos, de frente. Portanto, acho que para a próxima a senhora em questão deve manter os olhos no chão. Respeitará assim ainda mais ''a liberdade'' do Embaixador.

...Se estamos a ficar todos loucos...seríamos os primeiros e únicos ''loucos agachados'' do mundo...

''Ora passe por cima se faz favor, ora passe... Não não vá por aí...Primeiro passe por cima de mim...
e da minha família, já agora.''

Boas férias Miss Pearls, e já agora, é gozar bem da liberdade do bikini e fato de banho!
Nunca se sabe por quanto tempo...

1:43 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

eXTReMe Tracker