quinta-feira, junho 21

"Contavam-me que nasci no mês das cerejas"

costumava dizer a Amália Rodrigues por não saber a data certa do aniversário. Entre um aparelho de ar condicionado e a luz artificial, dificilmente nos apercebemos das mudanças da luz, do sol, das sombras das árvores ou da mansidão da brisa. Pouco a pouco cortamos os laços com a natureza e vamos deixando de viver pelos ciclos solares. Quase sem darmos conta, quebramos rituais felizes da infância e que separavam os meses, as estações do ano, as fases da lua ou as épocas festivas.
Porém, hoje, como quem num dia de Verão abre a porta de casa, naquele jardim com uma pequeno lago lá no alto do parque, vi nascer uma nova estação.
Às vezes, de repente, bate-me a Natureza de chapa, na cara dos meus sentidos, e eu fico confuso, perturbado, querendo perceber. Não sei bem como nem o quê... *Num dia de Verão-Alberto Caeiro

2 Comments:

Anonymous Trigonometria said...

De facto...
neste ritmo alucinante não sentimos o ritmo da Natureza.

Lembremos, pois:
Maio, o mês das flores
Junho, o mês das cerejas!

7:18 da tarde  
Blogger JC said...

http://bmarcore.club.fr/CD-mp3/montand-p/montand-p-09.mp3

11:02 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

eXTReMe Tracker