sexta-feira, fevereiro 9

E o título? No início ou no final?

Por vezes interrogo-me como é que os outros bloggers escrevem os posts. Isto é, andam a pensar no assunto, chegam ao computador e escrevem, "criam" mentalmente os textos nos semáforos, nas filas de supermercado, nos consultórios do dentista, não pensam em coisa nenhuma e assim que abrem o blogger sabem o que vão escrever, sabem sempre o que vão escrever antes de abrir o computador? depois de abrir o computador? o computador é importante? Outra aspecto em que me questiono são as expressões, as palavras, as frases. Terão já uma ideia das palavras que querem empregar, ou só têm mesmo uma ideia? Se eu, inúmeras vezes, não tenho qualquer raio de imaginação, será que há bloggers que têm criatividade para dar e vender? Se sim, onde a encontram?
Eu sei que um filme, um quadro, um livro, um disco, um jantar, um roubo de telemóvel, uns sapatos para desembrulhar, uma crónica bem escrita, um computador novo, um prato original, festas várias, o Verão, o Inverno, a cidade, o campo, o metropolitano, o ruído, a vizinhança, o camelo que nos ia atropelando, o aniversário dos filhos, o nosso, a gravidez, o nascimento, a morte, a doença, o amor, o desamor, os recadinhos, os poemas, os encontros, os desencontros, os amigos, um perfume, etc., etc., tudo pode servir de pretexto para um post. Eu sei que depois é juntar as palavras, criar um estilo e já está. Não é bem assim, mas imaginemos que sim. Não falo de blogs políticos ou económicos porque esses, parece-me, terão sempre um ou dois "assuntos". Os jornais, a televisão, as discussões, proporcionam temas e debates que não me parece difícil transpor para o blog. Se são originais, críticos, consistentes, fundamentados, isso é outra coisa. Mas um blog pessoal, diarístico, não vive da actualidade, raras vezes se alimenta da política agrícola, da reforma administrativa ou da nova legislação sobre a pesca recreativa. Porventura alguma particularidade ou excentricidade dos intervenientes ou mesmo a "decoração" das salas das conferências de imprensa sirvam para alguma coisa, mas nunca se sabe. Se o upgrade da Sra. Felgueiras era propício a uma graçola, já para outras personagens, garanto que é preciso muita imaginação para tomar o gosto ao post.
Então se um texto é criado por uma ideia, por palavras e expressões, como se edita? No silêncio, com ruído, em frente à televisão, com música, de dia, de noite, com dicionário, com outros livros ao lado, com uma ajudinha do google? E depois? as palavras vão saindo, ou, pelo contrário, apaga, escreve, re-escreve, corrige, volta ao princípio, hesita ou mexe-se na cadeira e interrroga-se como é que termino isto?
Entretanto fuma, come, bebe, levanta-se, atende o telefone, o marido, os filhos, bolas, só mais um momento que já não se pode estar sossegada nesta casa?
Outro pormenor que desconheço nos outros bloggers, são os posts em draft. Não hesitam, não os põem em recato, para melhores dias, boa ideia mas agora não, é melhor "save as draft"?
Falo por mim, tenho tantos posts em draft que por vezes parece o lixo ou a tralha que se vai guardando no carro e que nunca é altura de arrumar. Por falar nisso, hoje é um bom dia (uma boa noite). Falo do blog, não do carro, claro. Até choveu. Ainda bem que choveu.

13 Comments:

Blogger H.R. said...

Tanta coisa tão bem dita e tanta palavra tão bem ordenada...

Raramente uso drafts Isabel... Se não sai nada é porque não presta. Logo delete Embora eu não seja exemplo para ninguém!

2:29 da manhã  
Blogger Tuxa said...

Nao sei como escreve, desconheco como edita, mas resulta.

O texto esta muito bom...

E eu nao tenho qualquer regra. Todos os metodos que descreve sao verdadeiros, mas vao alternando.

10:20 da manhã  
Blogger cinderela-dos-pes-grandes said...

Cara Misspearls: será que está deixando a metafísica intrometer-se no seu blog?... :))
Precisa URGENTEMETE de comer chocolates! ;)

De qualquer modo, é um texto muito bonito, de cuja leitura retirei um delicioso prazer.

11:04 da manhã  
Blogger MissPearls said...

FPG deixou um novo comentário sobre a sua postagem "E o título? No início ou no final?":

Para mim a criatividade dos posts funciona um bocado como com a fotografia: vejo um pormenor que me capta a atencao e imagino a melhor forma de o registar. Isto porque tenho usado a tecnica da sobreposicao de imagens; as primeiras sao normalmente recolhidas em viagem e as segundas sao tiradas ca.
Daí o ter que estar mais atenta ao que me rodeia para ver o que posso combinar com a imagens que já tenho.
Para manter o blog, um pouco à laia de diario que me permite partilhar com todos os que tenho longe o que vao sendo os meus dias, aquilo que me toca, vou, por vezes, maturando algumas ideias e quando as passo ao "papel" começo pelo título.
Mesmo quando os posts resultam de um impulso momentâneo normalmente comeco pelo ti­tulo... pode sempre ser "afinado".
Antes de publicar, ou à medida que vou escrevendo, releio o que esta para tras a fim de evitar gralhas, repeticoes, etc.
Tenho uns drafts já com os títulos (um registo do assunto) - falta-me adicionar-lhes os textos...
http://passoconsentido.blogspot.com/

12:32 da tarde  
Blogger MissPearls said...

Helder,
Mas isso tem a ver com a sua profissão e com a rapidez e critérios com que edita um texto.
O mesmo não se passa comigo, que tenho uma escrita lenta, descritiva. Aliás como os meus textos a nível profissional.

Tuxa, obrigada

Cinderela:
Metafísica e utopias, não obrigada :)

Passo consentido,
enganei-me e "rejeitei " o seu comentário em vez de do publicar.
Mas aqui está.

3:13 da tarde  
Blogger SA said...

Quanto a mim, a inspiração surge repentinamente. Não estou a pensar se devo escrever sobre este ou aquele assunto. Depois de ter a ideia, alinhavo meia dúzia de ideias e depois é só escrever o texto final.
www.cronicasescarnioemaldizer.blogspot.com

6:28 da tarde  
Anonymous baducha said...

Acho as suas interrogações e exclamações pertinentes e com razão de ser.
Eu não tenho blogue, nem tão pouco sei escrever e talvez por isso, e mais do que isso, tente perceber o que vos move e motiva para a escrita consistente e diária.

Sinto a sua escrita como sendo uma pérola...e fico sempre com a sensação que vocês (alguns bloggers) já nasceram inspirados e que fazem o favor de nos inspirar com tamanha sensibilidade e saber.

6:32 da tarde  
Anonymous Blita said...

ad hoc, meu anjo...

7:43 da tarde  
Blogger DL said...

N�o como, n�o bebo, n�o fumo e raramente atendo o telefone. 2/3 do que vai para draft ja de la n�o sai.

8:31 da tarde  
Blogger ariel said...

Para abreviar, não repetir o que já está dito e não lhe roubar espaço com lengalengas, subscrevo as palavras da baducha.
Ainda pensei fazer um blog, mas a blogosfera está cheia de maus exemplos, e achei por bem não acrescentar o mau à porcaria.
Pérolas contam-se pelos dedos de uma mão.
:)
:)

8:53 da tarde  
Blogger Rui said...

Eh! Tanta pergunta junta. Tirando o fumar o cigarro (que não faço) está quase tudo lá, nas perguntas. Há posts e momentos para todos os gostos! Hoje, por exemplo, houve premeditação nos posts, ontem nem por isso, amanhã quem sabe :-)

12:05 da manhã  
Blogger sem-se-ver said...

não é por mais nada, é só o meu pequeno contributo numa tentativa de resposta às suas questões iniciais: eu imagino os meus posts primeiro, ou então descubro algo a dado momento que me interessa partilhar com a pessoa que amo, e dele faço um post. donde, para mim é fácil, pois é por ela e só por ela que criei e mantenho um blog.

por isso mesmo não o tornei 'público' por associação ao meu nick/perfil. prefiro tê-lo assim, ao recato. ao recato de um click directo no meu nick, entenda-se. qualquer um pode tropeçar nele, bem sei. imagino que tal não tenha acontecido até hoje. ou então quem o visitou teve o bom senso e a gentileza de não deixar nenhum comentário, porque intruso seria, efectivamente.

é a característica, creio, dos blogs de amor e por amor: neles pensamos a todo o momento e em qualquer circunstânica.

sim, tenho vários posts em draft.

porque se acima disse que 'para mim é fácil', o amor nunca é fácil.

mas isso são outras conversas.

(desculpe a dimensão do comentário)

um beijinho

5:51 da tarde  
Anonymous candida said...

este anúncio não vale nada, na munha opinião. seria bom para ilustar a função denotativa da linguagem, por exemplo.

8:33 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

eXTReMe Tracker