quarta-feira, janeiro 10

Ventos de modernidade

Não deixa de ser uma experiência fascinante passar cerca de uma hora numa repartição pública. Digo isto para quem não está a olhar para o relógio, claro.
Determinada a resolver de uma vez só alguns problemas relacionados com a logística das delícias do lar, a mega-repartição da Loja do Cidadão é, de facto, o paraíso para o consumidor. Depois de tirar a ficha da ordem, sento-me ao lado de mais duas portadoras de facturas. A conversa aqui, à semelhança do que acontece em consultórios médicos, vai dar sempre ao mesmo: queixas (a minha úlcera é maior que a tua, pago mais impostos do que tu, olha aqui o inchaço no joelho).
Esquecendo-se por uns instantes dos problemas do contador, a mais velha contava à outra (que aparentemente tinha acabado de conhecer) a razão do luto. " Coitadinho do meu tio, adromeceu e ficou-se que nem um passarinho. Uma morte santa." Quem ficou satisfeita por sair daquele velório "municipalizado", fui eu, com o meu número a piscar. A menina aponta-me para uma caixa tipo multibanco ao lado de um poster de propaganda do Simplex e pasme-se, aquilo era uma máquina do demo. Põe-se o código de barras da factura sobre o leitor, enfiam-se as notas por uma ranhura, recebe-se o troco e já está a factura paga. Sem dor.
Entretanto, já se tinha aproximado um cavalheiro com ar entendido. Desconfio que foi confirmar se eu tinha saloia escrito na testa.

5 Comments:

Blogger ariel said...

Uma aguinha frutada fresquinha também não vai mal, para arribar!
:)

1:01 da tarde  
Blogger O Jansenista said...

Há uns anos uma deliciosa tripeira gabava-se de um novo vestido «fruta-cores». E águas frutadas deve ser aquilo do Frize...

1:52 da tarde  
Blogger Baducha said...

As repartições públicas são locais propícios para os leigos acrescentarem na sua "literatura médica" mais algumas doenças, mais especificamente as geriátricas, que para além de serem reais, não deixam de representar uma solidão camuflada!
E depois de sair destes locais, nada melhor que tomar uma Frize para digerir a coisa!

4:47 da tarde  
Blogger cinderela-dos-pes-grandes said...

Misspearls, adorei o seu post!... Que delicioso humor!

Já agora, lembro-lhe que a PT também tem essa máquina do demo que é completamente adorável!... Sinto-me sempre um pouco estranha quando entro naquele lugar cheio de gente em espera, me dirijo à dita máquina e... cinco minutos (se tanto!) depois, debaixo dos olhares indignados dos presentes, SAIO dobrando factura e recibo!

Tenho sempre que fazer um esforço para manter um ar inocente debaixo daqueles olhares acusadores!!... ehehhe

4:11 da tarde  
Blogger MissPearls said...

Cinderela,
isto não é bem um vento de modernidade, mas mais uma brisazinha....

5:56 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

eXTReMe Tracker