quinta-feira, novembro 20

Cruella

Decidida a provar que "tudo se herda" mesmo as competências culinárias, mil vezes arrependida de nunca ter olhado para as mãos sábias das mulheres da minha vida enquanto faziam travessas de farófias ou simples geleias de laranja, e incapaz de lhes traduzir as instruções em códigos que só elas conheciam, decido apresentar-me no Natal com um foie gras de meter inveja ao chef mais exigente.
Bastou uma vista de olhos para receitas já amareladas para concluir que não só ignoravam as pastas de fígado, como tinham muito tempo e uma infinita paciência em volta de tachos, tabuleiros e lumes brandos.
Reduzida à menor das insignificâncias, o amigo google havia de me proporcionar recettes de foie gras. De pato, claro. Ainda não tinha passado meia dúzia de páginas e já só via campanhas e petições contra a abolição da gavage, ilustrações terríveis, apelos a boicotes e relatórios internacionais. Em minutos, estava transformada num criatura execrável, capaz das maiores torturas contra os direitos dos animais, uma megera indiferente à crueldade a que sujeitavam os bichos, logo eu, que não faço mal a uma mosca.
Solidária e disposta a provar que não tenho maus fígados, desisto prontamente deste aperitivo, decidida a passar às sobremesas. Depois do que vi, o mais certo é nunca mais passar junto dos produtos sem me recordar desta triste bicharada.

9 Comments:

Blogger Once said...

Oh Miss Devil .. ops Pearls! o que eu já me ri ;)

mas .. fiel às receitas por aqui também .. e por vezes a lamentar igualmente não ter estado com mais atenção quando ainda podia ..
Beijinho

10:41 da manhã  
Blogger Niagara said...

Ainda acabamos todos mortos à fome, e a pensar que se calhar se deviam mesmo matar os touros na arena...

11:45 da manhã  
Blogger Margarida Pereira said...

Foie Gras é que não...
Para além de nos fazer mal (é um pensamento reconfortante), o que sucede aos animais é medonho.
Não compactuo mais com semelhante.
Nem como uma data de coisas há anos.
Simplesmente porque todo o processo é hediondo. Não consigo.
Acresce que eu sou 'doente' pelos animais.
Todos. A sério.
Às vezes desconfio que sou budista sem saber..

12:22 da tarde  
Blogger M Isabel G said...

Sim... as imagens e as descriçõe dissuadem o mais corajoso,,,

12:27 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Cara Vizinha,

Apenas uma observação: É que nessa ordem de ideias qualquer dia deixa de ir ao talho... Ou pensará V. Exa. que os animais são abatidos de uma forma aceitável ?

And so on and so on...

Toutes mes compliments,

1:51 da tarde  
Blogger M Isabel G said...

CAro VIzinho
Mas o foie gras não é mais do que um produto de luxo , completamente dispensável, enquanto que um bife é necessário para a dieta alimentar, pelo menos para a minha.

Acredite que não sou fundamentalista de coisa nenhuma, mas fiquei impressionada . E depois passo muito bem sem esses deslumbramentos franceses:)

2:37 da tarde  
Blogger drengo said...

Hajam sobremesas, sim. ...o cheiro que mais recordo dos tempos de espera para provar os doces que saíssem do forno, é o de erva-doce. Mera indicação pessoal...

Que os dias lhe sorriam.
J.

2:58 da tarde  
Blogger Mike said...

Shiiii, Miss Pearls... eu gosto de fois gras e ri-me com o seu post. Mas não foi dissuador, devo confessar.

7:38 da tarde  
Blogger Margarida Pereira said...

Mike, absoluta e definitivamente dissuador é o vídeo a que Miss Pearls alude. Que eu já havia visto.
Garanto que lhe passa a vontade.
Não entro em detalhes para nos poupar a todos...

11:48 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home

eXTReMe Tracker