sexta-feira, julho 4

Fora de casa, entre espelhos

Vive-se o Verão nas ruas de Lisboa. O mesmo calor que em anos anteriores punha os umbigos ao léu, tratou esta estação de fazer descair os decotes em formas audazes. Um regalo para os olhares masculinos, digo eu e dizem os maduros da mesa do lado, enquanto salivam com as morenas pernilongas que passam na avenida.
É o mesmo calor que destapa os corpos em filas de provadores que guardam os segredos de quem se despe e de quem se descalça, pondo a nú corpos e pés transpirados, capazes de afugentar o voyeurismo mais criativo.
Bem sei que os saldos potenciam os números de peças permitidas, esvaziando cabides e prateleiras para dentro de exíguos gabinetes suportados unicamente pela cobiça dos preços baixos. O resto é fantasia, que os brises contínuos não conseguem mitigar. Seria porventura uma boa ideia seguir a advertência dos médicos junto às marquesas: "não se descalce, por favor".

2 Comments:

Anonymous mike said...

Então há que dispensar os provadores (e o salivar). Fiquemo-nos pelas morenas pernilongas que passam pela avenida... ;)
Neste caso a advertência é "leia-se este post, por favor".

1:57 da manhã  
Blogger esquilo said...

plenamente de acordo Miss Pearls. de duas uma, ou os provadores são pouco arejados ou o nosso nariz é demasiado abrangente...clap,clap!

Boa semana!

10:13 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home

eXTReMe Tracker