domingo, novembro 26

Fenómeno com água e sem piedade

O mau tempo que submergiu parte do país, arrasou árvores, derrubou postes, cortou estradas, linhas férreas, causou o caos em zonas ribeirinhas, invadiu residências e lojas, trouxe também um fenómeno que deve ter transformado transeuntes em pintos: guarda-chuvas partidos.
Eu vi. Ninguém me disse. Contei-os: 5, cinco destroços de guarda-chuvas só na minha rua. Cinco ruínas que jaziam ali mesmo nos passeios e nos caixotes do lixo, abandonando as tristes criaturas à fúria dos elementos.
Com alguma sorte, um dos guardas-chuvas que encontrei pode ter-se partido na tola de um qualquer comentador insultador (M/F) que povoa a blogoesfera. Dois desejos: primeiro, que tenha apanhado uma grande molha. Segundo, que a água lhe tenha deixado uma cabeça mais arejada.

7 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Quero que se agasalhem todos ( os dez milhões ) e que não saiam de casa a não ser que seja necessario.

Hexagonista preocupado.

2:38 da manhã  
Blogger MissPearls said...

E a fotografia?
:)

2:44 da manhã  
Blogger Menino Mau said...

o meu guarda chuva tambêm se partiu..
quinta e sexta apanhei uma molha daquelas...

11:09 da manhã  
Anonymous joão ferreira dias said...

uma perspectiva engraçada.

bjs

11:42 da manhã  
Blogger O Jansenista said...

Altura de ouvirmos Kenny Rodgers & Dolly Parton a cantarem Islands in the Stream, dos Bee Gees - com uma letra que, com as enxurradas, adquire um sentido literal.

12:55 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Tem piada. Também andei a contar guarda-chuvas partidos pelas ruas. A minha conclusão é que, mais do que o aquecimento global, é preocupante a qualidade dos ditos.

12:54 da tarde  
Blogger Sara said...

Eu contei 17 numa rua do centro de lisboa e 8 na seguinte...

6:31 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home

eXTReMe Tracker